sábado, 28 de abril de 2012

Ser feliz


Ser feliz pra sempre é o final que todos queremos ter, porém uma hora descobrimos que que a felicidade em si muda de significado várias vezes durante o percurso de uma vida. Ninguém sabe direito o que é felicidade, mas, definitivamente, não é acomodação. Acomodar-se é o mesmo que fazer uma longa viagem no piloto automático. Muito seguro, mas que aborrecimento! É preciso um pouquinho de turbulência pra gente acordar e sentir alguma coisa, nem que seja medo. 


Tem tanta gente que se distrai e é feliz pra sempre, sem conhecer as delícias de ser feliz por uns meses, depois infeliz por uns dias, felicíssimo por instantes, e em outros instantes achar que ficou maluco, então ser feliz de novo em fevereiro e março, e em abril questionar tudo o que se fez, aí em agosto ser feliz porque a ousadia deu certo, e infeliz porque durou pouco, e assim sentir-se realmente vivo pois cada dia passa a ser um único dia, e não apenas mais um dia.

Eu adoro montanha-russa, o brinquedo, e ainda mais montanha-russa, a vida. Viver não é seguro. Viver não é fácil. E não pode ser monótono. Mesmo fazendo escolhas aparentemente definitivas e difíceis, ainda assim podemos excursionar por dentro de nós mesmos e descobrir lugares desabitados em que nunca colocamos os pés, nem mesmo em imaginação. E estando lá, rever nossas escolhas e recalcular a duração do nosso 'pra sempre' ou ver talvez que a hora dele está guardada pra mais tarde. Porque, muitas vezes, o pra sempre não dura tanto quanto duram nossa teimosia e receio de mudar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário